AMOR MUNDI

2020

TRANSMISSÃO ONLINE

E BATE-PAPO AMOR MUNDI

CENTRO CULTURAL VASCO

TRANSMISSÃO ONLINE

08/10, QUI.  ÀS 20H

  • Facebook

OFICINAS CULTURAIS SÃO PAULO

TRANSMISSÃO ONLINE

09/10, SEX.  ÀS 19H E 10/10, SÁB. ÀS 17H

  • YouTube

BATE-PAPO E EXIBIÇÃO DE MINI DOCUMENTÁRIO

PELO ZOOM - 09/10, SEX.  ÀS 20H

Com mediação de Roberto Alencar

FICHA TÉCNICA

Coreografia e direção: Vanessa Macedo

Intérpretes: Diego Hazan, Letícia Mantovani, Maitê Molnar, Thainá Souza, Vanessa Macedo e Vinicius Francês

Iluminação e edição de vídeo: André Prado

Concepção de vídeo projeção: Bianca Turner

Captação de imagem: Vic Von Poser

Assistente de captação de imagem: Alexandre Szolnoky

Composição, síntese sonora, gravação e mixagem: Ricardo Pesce

Participação especial Didgeridoo: Paulo Jesus

Figurino: Daíse Neves

Assistente de figurino: Pablo Azevedo

Consultoria para cenário: Rogério Marcondes

Professoras convidadas preparação corporal: Luiza Banov (gyrokinesis) e Paola Hirga (pilates)

Professoras convidadas Seminários Amor Mundi: Crislei de Oliveira Araujo, Laura Mascaro e Suzi Piza

Edição do Mini Documentário: Vinicius Francês

Mediação de bate-papo: Roberto Alencar

Produção Executiva: AnaCris Medina

ESTRÉIA

AMOR MUNDI

ESTRÉIA:

AMOR MUNDI

SÉRIE DE DANÇA - 3 EPISÓDIOS

TEMPORADA ONLINE – via ZOOM
SÁB. 20h - DOM. 19h

12 e 13/09 Episódio 1 - Prólogo
19 e 20/09 Episódio 2 - Conspiração Sistêmica
26 e 27/09 Episódio 3 - Revolução

AMOR MUNDI se inspira na nossa relação de cuidado e responsabilidade com o mundo. É sobre AÇÃO que se faz em grupo. Sobre risco, imprevisibilidade, codependência, eminência de colisão. Um desejo de insurgir, romper e deixar nascer o que não se sabe.

 

 

AMOR MUNDI será apresentado em vídeo numa série de três episódios - Prólogo, Conspiração Sistêmica e Revolução – durante três finais de semana seguidos. As exibições serão seguidas de um bate papo com as mediações dos pesquisadores Ana Teixeira e Odilon Roble.

FICHA TÉCNICA

Coreografia e direção: Vanessa Macedo

Intérpretes: Diego Hazan, Letícia Mantovani, Maitê Molnar, Thainá Souza, Vanessa Macedo e Vinicius Francês

Iluminação e edição de vídeo: André Prado

Concepção de vídeo projeção: Bianca Turner

Captação de imagem: Vic Von Poser

Assistente de captação de imagem: Alexandre Szolnoky

Composição, síntese sonora, gravação e mixagem: Ricardo Pesce

Participação especial Didgeridoo: Paulo Jesus

Figurino: Daíse Neves

Assistente de figurino: Pablo Azevedo

Consultoria para cenário: Rogério Marcondes

Professoras convidadas preparação corporal: Luiza Banov (gyrokinesis) e Paola Hirga (pilates)

Professoras convidadas Seminários Amor Mundi: Crislei de Oliveira Araujo, Laura Mascaro e Suzi Piza

Mediadores das exibições on-line: Helena Bastos e Odilon Roble

Produção Executiva: AnaCris Medina

SEMINÁRIOS

AMOR MUNDI

SÁBADOS, 15, 22 E 29 DE AGOSTO

DAS 10h ÀS 13h

15/08 - Amor mundi e natalidade em Arendt: diálogos sobre educação e política

com CRISLEI DE OLIVEIRA CUSTÓDIO

A política, pedra angular do pensamento de Arendt, é o âmbito a partir do qual a autora pensa a própria condição humana e a relação dos homens com o e no mundo. Para ela, "no centro da política jaz a preocupação com o mundo, não com o homem”. Ou seja, visto da perspectiva da esfera política, o mundo é mais relevante do que a  vida individual de cada ser humano.

Acerca da educação, a autora afirma que a natalidade - "o fato de que os seres nascem para o mundo" - é a essência dessa atividade. Arendt, aliás, situa a educação em uma posição intermediária: entre o velho e o novo e, em sua dimensão escolar, também entre o público e o privado. Assim, ao mesmo tempo em que a educação – e, especificamente, a escola – assume o compromisso com a preservação do mundo, ela compromete-se, de certa maneira, com sua renovação. À proporção que a educação apresenta e inicia os novos neste mundo, ela oferece-lhes a possibilidade de estabelecer laços de pertencimento. À medida que conserva fragmentos do passado e histórias daqueles que nos antecederam, ela cria condições para que os recém-chegados tenham novas experiências e comuniquem novas interpretações. 

E, ao passo que apresenta um mundo velho às crianças e jovens, o qual os interpela quanto à novidade e ao ineditismo que trazem, a educação tende a possibilitar que esses novos se apresentem ao mundo e revelem quem são. Em vista disso, neste encontro se pretende elucidar os conceitos de amor mundi e de natalidade em Hannah Arendt propondo a compreensão dessas noções na interface com as concepções de educação e de política para a autora.    

CRISLEI DE OLIVEIRA CUSTÓDIO

Licenciada em Pedagogia, Mestre e Doutora em Educação pelo Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação da Faculdade de Educação da USP. Membro da equipe de educação em direitos humanos do Instituto Vladimir Herzog, Professora titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIB e membro do grupo de estudos “Violência em tempos sombrios” do NEV/USP. Foi organizadora da coletânea “Hannah Arendt: a crise na educação e o mundo moderno”, publicada em 2017 com apoio da Fapesp pela Editora Intermeios.

22/08 - Como narrar (amar) o mundo

com LAURA MASCARO

A narrativa revela o sentido sem cometer o erro de defini-lo” (H. Arendt). Essa citação de Hannah Arendt revela uma faceta pouco conhecida de seu pensamento: a narrativa. Nessa aula pretendemos mostrar como o narrar é essencial para a forma de compreender e julgar de Hannah Arendt. A narrativa também é uma forma de conservar o que existe de precioso no mundo, atribuindo sentido e colaborando para nosso “amor ao mundo”. 

LAURA MASCARO

Graduada em Direito, Mestre pelo departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito (USP) e Doutora em Literatura Francesa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (USP) com período sanduíche na Université Paris III – Sorbonne Nouvelle. Sua tese de doutorado “Memória e Verdade em La Douleur de Marguerite Duras” foi indicada para os prêmios Tese Destaque USP – 2018 e CAPES Tese – 2018. Atualmente é Professora do curso de direito da Universidade São Judas Tadeu, pesquisadora do grupo "Violência em Tempos Sombrios", dedicado ao pensamento de Hannah Arendt no NEV-USP e atua como advogada no Núcleo Paulista de Mediação e Arbitragem.

29/08 - Implicações políticas do amor mundi e o espírito da Revolução

com SUZE PIZA

Pensar a política na filosofia de H. Arendt usando o conceito de amor mundi como mobilizador para identificar a apatia, o descuido, o isolamento, a dessubjetivação como origens dos totalitarismos; o estar-em-casa, o pertencimento, a convivência, a partilha com o outro, a responsabilidade com o mundo como as condições de possibilidades históricas para a política e as revoluções. A proposta é atravessar a obra da filósofa de forma que possamos compreender o vínculo essencial, mas raramente tematizado pelas tradições revolucionárias, entre cuidado e política.

SUZE PIZA

 

Filósofa, educadora, com mestrado, doutorado em Filosofia pela Unicamp e pós-doutorado em filosofia e psicanálise. Pesquisa  pensamento ético-político contemporâneo. É professora do programa de pós-graduação em Filosofia e do Programa de Economia política Mundial de pós-graduação da UFABC.

FICHA TÉCNICA

Organização e Mediação: Vanessa Macedo

Produção: AnaCris Medina e Cia. Fragmento de Dança

Identidade visual: Letícia Mantovani

AMOR MUNDI

Episódios 1, 2 e 3

>>Cia Fragmento de Dança

producaociafragmento@gmail.com

>>Kasulo Espaço de Cultura e Arte

R. Sousa Lima 300, Barra Funda 

São Paulo/SP | TEL: 11 3666-7238

blog-ícone-.png
  • w-facebook
  • instagram
Crislei de Oliveira Custódio